Close
Skip to content

PREÇO X VALOR

Nova diretoria, 2021/2022, acata proposta de suspender
o pagamento obrigatório da anualidade para associados

Em tempos de internet, whatsapp, facebook, instagram etc a discussão preço X valor parece tomar proporções importantes capazes inclusive de colocar em xeque a sobrevivência de lojas, empreendimentos e associações como a ABVC, por exemplo.
Após quase duas décadas de conquistas maravilhosas, eventos fantásticos, premiações que incluíram até viagens internacionais a associados mais sortudos, agraciados durante os encontros anuais, a ABVC (Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiros) amargou no roll dos que não conseguiram se organizar para os novos desafios e 2020, ano da pandemia, por pouco, não foi também o ano em que esta maravilhosa entidade fechou mais um capítulo da náutica brasileira.
Inconformados com esta possibilidade e cientes de que a associação ainda pode ajudar muito na evolução da náutica e da vela nacional, um grupo de velejadores decidiu se unir para tentar mudar o jogo.
Ao aceitar este desafio, decidimos que a diretoria não deveria ser composta por amigos, mas sim por companheiros de vela e sonhos e apaixonados pela náutica brasileira, que se destacam por suas ações regionais e às vezes até nacionais na luta por uma vela melhor.
Ou seja, os novos representantes foram escolhidos, não com base em agendas pessoais, mas por acreditarem que, com 8,5 mil km de costa e 9 mil km de represas, o Brasil merece, sim, ser o que os players internacionais dizem que um dia seremos: um dos cinco maiores destinos náuticos do mundo.
Ao invés de criarmos uma diretoria composta por amigos, optamos por garimpar em diferentes grupos de whatsapp e outras redes pessoas comprometidas com o crescimento da náutica e do turismo náutico brasileiro.
Fazem parte da nova diretoria também, antigos presidentes regionais, já acostumados com o trâmite da associação. Lastreados pelo conhecimento destes, esperamos, ao trazermos novas ideias e tentar imprimir um novo ritmo à associação, contar com a sua experiência acumulada durante anos e, desta forma, evitar armadilhas da burocracia do terceiro setor.
Em tempos de crowfounding e economia colaborativa, optamos por gerar valor e dar ao associado a opção de apoiar ou não o crescimento da náutica nacional. A base desta proposta está em destaque logo abaixo e faz parte do pensamento econômico deixado por um dos maiores teóricos da economia mundial, Walter Willians, 1936 – 2020:
“Podemos pensar em dólares (pagamentos) como ‘certificados de desempenho’. Quanto melhor eu sirvo aos meus semelhantes, e quanto maior o valor que ele atribui a esse serviço, mais certificados de desempenho eu terei. Quanto mais certificados eu ganho, maior é minha reivindicação sobre os bens que os outros produzem. Essa é a moralidade do mercado. Para que alguém tenha uma reivindicação sobre o que seu semelhante produz, ele deve primeiro servi-lo.”
Com a realidade de tantos grupos em whatsapp, facebook, instagram, etc, se organizando de forma gratuita, a diretoria 2019/2020 chegou à conclusão que seria necessário extinguir a cobrança anual obrigatória.
Uma ação arriscada, já que nenhuma associação vive sem o apoio de seus associados. Porém, decidimos acatar e assumir esse desafio imenso.
Seguindo o pensamento de Walter Williams, vamos primeiro gerar valor e então sentir o quanto isso impacta o nosso associado e o estimula a contribuir para a manutenção da associação e da luta em prol do desenvolvimento da náutica e do turismo náutico brasileiro.
No site da ABVC abriremos um canal de apoio, onde o associado poderá contribuir com R$ 50,00; R$100,00; R$150,00 ou com o valor que desejar contribuir. Estamos também criando a loja ABVC que contará incialmente com três produtos inovadores que consideramos estratégicos para se ter a bordo, além das camisetas, decalques para colocar no costado do barco e flâmulas da entidade.
Mas tudo isso depende de um bom canal de comunicação. Por isso, ao assumirmos em janeiro, nosso primeiro passo será criar um site ágil, responsivo e acessível também pelo celular, sem custo nenhum para a associação. Esta já é talvez a primeira pista de que estamos no caminho certo. O site está sendo doado pela Hinova, uma das maiores empresas de TI do país, de propriedade de um velejador associado que está doando o site para a ABVC.
As inovações e facilidades não vão parar por aí. Estamos aproveitando o mês de dezembro para estruturar outros benefícios para os associados como:
• A manutenção da parceria ABVC – Dream Yacht Charter, que garante a todo associado descontos de 10% em qualquer charter para até 60 destinos internacionais Dream Yacht Charter;
• Criação de um app que tem como objetivo melhorar a segurança no mar;
• Dar ao velejador associado que desejar uma conta digital em um banco parceiro;
• Buscar parcerias que viabilizem linhas de crédito específicas para veleiros;
• Apoiar a ação do Fórum Náutico Paulista no desenvolvimento do turismo náutico e na campanha “meu primeiro barco”, com objetivo também de atrair novos associados para a ABVC;
• Incentivar as ações de charter náutico no Brasil, pois acreditamos que o charter também é uma forma importante de atrair o novo/futuro proprietário de barcos;
• Cadastrar escolas de velas e montar parcerias que objetivem apoiar a ação do FNP em relação ao programa ‘meu primeiro barco”;
• Retomar ações para viabilizar o seguro das embarcações com mais de 30 anos;
• Tentar ampliar as parcerias com clubes e marinas ao longo do litoral brasileiro;
• Estruturar um calendário de eventos náuticos que não fique focado apenas no sudeste brasileiro.
Tenho certeza de que a ABVC é uma associação feita para os velejadores, assim como os velejadores são a alma desta entidade. Sendo assim, acreditamos que quanto melhor a entidade servi-los, quanto mais brigarmos para levar aos decisores informações pertinentes capazes de melhorar o universo náutico brasileiro melhor será o “certificado de desempenho que a ABVC receberá” de cada associado.
Porém, conhecer a opinião de cada um de vocês – quais os maiores gargalos regionais e nacionais para que consigamos ter velejadas mais prazerosas e seguras, o que esperam da sua associação, como podemos trabalhar para atender melhor cada associado – é a base inicial para que possamos traçar a melhor rota nestes dois próximos anos de velejadas.
Ao mesmo tempo, é essencial que possamos contar com o apoio de cada associado para que juntos possamos melhorar a vela brasileira e trazer, cada vez mais, novos adeptos para este estilo de vida tão maravilhoso.
Sem dúvida, neste mar de novas oportunidades para náutica, precisaremos também ter uma noção clara de o quanto cada um está disposto a ajudar para que tudo isso saia do papel. E quando falo em ajudar, não se trata necessariamente de apoio financeiro, mas com ações do dia a dia capazes de melhorar o nosso convívio, o nosso esporte, o nosso lazer e o nosso estilo de vida.
É proposta da nova diretoria também criar o selo ABVC de qualidade de serviço. Ação que só será possível se cada associado indicar os melhores prestadores de serviços da sua região e mantivermos no site uma métrica dos serviços prestados por estes profissionais e empresas náuticas.
Com o devido apoio da tecnologia, poderemos destacar no novo site da ABVC, em construção, a nota dada pelo associado à cada prestador de serviço e, com isso, apontar para os outros associados o valor daquele profissional e a qualidade de serviço que ele presta.
Esta parceria pode começar com o compromisso de responder o questionário que iremos enviar a todos, no início do próximo ano, para que possamos traçar a nossa rota baseados nas as questões mais prementes à náutica brasileira.
Um trabalho que ganhará mais robustez à medida que os associados convidarem amigos velejadores que ainda não fazem parte da associação a participar deste movimento na criação de uma entidade que represente o consumidor final e que tenha como foco principal o desenvolvimento da náutica nacional.